Ação de sensibilização

Uma comitiva de 30 arquitetos e engenheiros da autarquia de Barcelos e de experimentaram as dificuldades vividas por cidadãos portadores de deficiência física e visual numa das zonas mais movimentadas da cidade - a Rua Direita. A comitiva, liderada pelo vice-presidente da Câmara de Barcelos, Domingos Pereira, viveu, por algumas horas, as dificuldades por que, diariamente, passam os cidadãos com incapacidade, com recurso a cadeiras de rodas, canadianas ou fitas pretas simuladoras de cegueira. Numa altura em que a autarquia está a desenvolver o Programa RAMPA - Regime de Apoio aos Municípios para a Acessibilidade, a iniciativa pretendeu sensibilizar a sociedade para as questões da mobilidade dos cidadãos com deficiência que, no seu dia a dia se deparam com variados obstáculos, como passeios traiçoeiros, degraus intransponíveis ou sinalização inadequada. Para completar a ação, os comerciantes da Rua Direita abriram as portas à comitiva para mostrar as barreiras existentes nos estabelecimentos comerciais da cidade.

Comitiva municipal experimentou dificuldades dos cidadãos com deficiência

Domingos Pereira, vice-presidente da Câmara Municipal de Barcelos, fez questão de referir que esta foi "apenas uma das muitas ações de sensibilização que a autarquia tem vindo a desenvolver, no âmbito do Programa RAMPA, com o objetivo de eliminar as barreiras físicas e arquitetónicas existentes no município, de forma a construir uma cidade para todos".

Para além das ações de sensibilização teóricas, que têm vindo a decorrer desde outubro de 2012, a autarquia pretende promover formações práticas para que os cidadãos de Barcelos possam sentir, no terreno, as dificuldades dos barcelenses com deficiência física e visual.

Ao abrigo do Programa RAMPA, o Município está a realizar um levantamento de barreiras arquitetónicas no perímetro urbano do concelho e a desenvolver uma campanha de informação e sensibilização junto dos munícipes.

Ainda no âmbito deste programa, a autarquia barcelense tem vindo a realizar várias ações, dirigidas a diferentes públicos, desde alunos do Ensino Primário, passando por técnicos da autarquia ou gabinetes locais de arquitetura.

 

Foram vários os meios de comunicação social nacionais e regionais que acompanharam a ação. Veja aqui a reportagem da RTP