Saltar para o conteúdo
EnglishFrenchGermanPortugueseSpanish

O projeto de intervenção que se apresenta, incide sobre a Avenida dos Combatentes da Grande Guerra, e abrange uma extensão que vai desde a Avenida da Liberdade/ Campo 5 de Outubro, passa pela Igreja do Terço, Campo da Feira, cruza com a Avenida D. Nuno Álvares Pereira e estende-se até ao Largo dos Capuchinhos, terminando no quarteirão onde se localiza o Centro de Saúde de Barcelos (Extensão de Santo António) e o centro infantil de Barcelos. Na sua globalidade, este espaço possui uma área de aproximadamente 17 000,00m2.

Dada a importância da Avenida dos Combatentes da Grande Guerra no contexto urbano e histórico da cidade, desenvolveu-se um programa de intervenção assente numa perspetiva de revitalização e adaptabilidade à realidade evolutiva da cidade, atendendo às novas funções e necessidades da mesma, salvaguardando e valorizando o património histórico edificado, fomentar um espaço gerador de atratividade, que tire partido do seu privilegiado enquadramento urbano e paisagístico, como motor gerador de novas dinâmicas com vista a potenciar o comércio, a vivência do espaço público, e todo o património edificado, bem como, a integração e promoção de uma acessibilidade e mobilidade urbana mais sustentáveis, com base em modos de transportes suaves, pedonal e ciclável.

CONCEITO / PROPOSTA DE INTERVENÇÃO

Da análise efetuada à zona de intervenção registou-se, para além da escassa dimensão dos passeios, a desorganização viária e a falta de gestão do estacionamento. Aliado às más condições dos pavimentos, diagnosticou-se que o espaço que dá corpo ao separador central, apesar de ter uma imagem marcante no atual desenho urbano, é hoje um espaço pouco atrativo, que já não desempenha a função projetada originalmente. Na realidade, esta zona pedonal, arborizada e com bancos de jardim, tem uma utilização diminuta, devido ao facto de se localizar entre vias rodoviárias, com proximidade e exposição aos gases poluentes provenientes dos automóveis, o que a torna pouco convidativa. Por outro lado, a circulação pedonal neste local é descontínua, com diversas interseções viárias, e afastada da zona comercial e demais edifícios.

Outra situação que importa referenciar é a excessiva ocupação do automóvel no Largo dos Capuchinhos, prejudicando o enquadramento paisagístico e urbano da igreja.

OBJETIVOS DO PROJETO

Tendo em consideração o programa preliminar e todo o contexto acima descrito, a proposta de intervenção tem por base os seguintes objetivos:

  • A apropriação do espaço que dá corpo ao separador central da avenida para reorganizar e redimensionar todas as estruturas que compõem o espaço urbano;
  • Privilegiar uma estrutura pedonal de qualidade, integrada, capaz de servir as funções de atravessamento e sociabilização/espaço de estar, com efeito na valorização da estrutura edificada e do comércio local;
  • Revitalização de espaços/zonas debilitadas, atribuindo-lhes funções e valorizando-os quanto ao seu enquadramento urbano e paisagístico;
  • Ordenamento e regulação da estrutura viária, reduzindo as velocidades de tráfego (zonas 30), e corrigindo os pontos de conflito mais relevantes, com vista à segurança de todos;
  • Melhoramento da geometria dos cruzamentos, diminuindo pontos de conflito, sem comprometer a função que as vias desempenham na hierarquia viária;
  • Requalificação do estacionamento, quer na sua tipologia, quer na sua geometria;
  • Introdução de novas valências na mobilidade urbana, designadamente, faixas cicláveis, como medida para incentivar e promover modos de deslocação alternativos ao automóvel, contribuindo assim, para uma maior sustentabilidade do sistema de transportes;
  • Regeneração de toda a estrutura verde.
  • Dotar a zona de intervenção de mobiliário urbano e equipamentos de apoio á ciclovia.

AÇÕES OPERATIVAS

Estrutura Pedonal

  • A estrutura pedonal será alargada, os passeios que confinam com a vertente da Igreja do Terço e escola Gonçalo Pereira, até à Igreja dos Capuchinhos terão uma largura variável entre os 3,60 e os 6,00 metros, e serão acompanhados por um eixo arbóreo e canteiros ajardinados. Trata-se de uma ação que visa dotar esta avenida de passeios que para além de terem uma função de atravessamento, possuam um cariz de sociabilização, assumindo-se simultaneamente, como zonas de estar, mais convidativas e atrativas, gerando novas dinâmicas e fortalecendo todo o comércio local. Por outro lado, este dimensionamento irá valorizar toda a estrutura edificada, ampliando a leitura e a imagem urbana, bem como, a relação do peão com o edificado, que se tornará mais próxima e apelativa.
  • O largo dos capuchinhos será alvo de uma profunda remodelação, transformando-se num espaço exclusivamente dedicado ao uso pedonal e de estar, capaz de possibilitar a realização de atividades e eventos de pequena dimensão. Nesse entendimento, refletirá maior dignidade urbana e um melhor enquadramento visual da igreja de Stº. António e da estátua em homenagem ao João Duarte, industrial e benemérito barcelense.
  • O atual jardim/canteiro junto ao centro de saúde será requalificado, e será criado um espaço de estar e atravessamento mais apelativo, oferendo melhores condições aos utilizadores da instalação de saúde, centro infantil e população em geral.
  • Colocação de mobiliário urbano que cumpram requisitos de qualidade, conforto, segurança e durabilidade.

Estrutura Viária

  • Criar e implementar faixas cicláveis de acordo com o plano de ciclovias urbanas para a cidade. A solução preconizada visa a construção de faixas cicláveis segregadas, dotadas de bons níveis de segurança e adequabilidade ao espaço. A sua localização será sempre entre o passeio e a via rodoviária e/ou o estacionamento, separadas do peão e do carro por intermédio de faixa verde/arbórea ou por desnível entre pisos. Serão faixas unidirecionais, com a largura de 1,50 metros.
  • Implementar equipamentos de apoio as faixas cicláveis, em locais estratégicos, como por exemplo, parqueamento de bicicletas e estação de bike-sharing.
  • A estrutura viária será composta por duas faixas de rodagem, uma em cada sentido, ladeadas por estacionamento paralelo às vias, com exceção da zona que confina com o Campo da Feira e Igreja do Terço. Esta exceção deve-se à necessidade de libertar todo o espaço público para preservar e valorizar a imagem dos elementos patrimoniais classificados da cidade. Por outro lado, a possibilidade e a capacidade, de estacionamento nas proximidades (Campo da Feira) dá resposta às necessidades do parqueamento local suprimido.
  • A estrutura viária foi contemplada com um conjunto de ações e medidas no intuito de reduzir a velocidade de tráfego e tratar a geometria dos cruzamentos, com vista a minimizar os pontos de conflito e otimizar a segurança, sem que se comprometa a função que as vias desempenham na hierarquia viária.
  • Todas as passadeiras serão desenhadas de forma a serem canais de atravessamento seguros e acessíveis a todas as pessoas.
  • Serão criadas zonas específicas e bem delineadas para a paragem de autocarros, cargas e descargas e parqueamento para pessoas com mobilidade reduzida.

Estrutura Verde

  • A estrutura verde será composta por um eixo arbóreo ao longo de toda a avenida, e incluirá, igualmente, o tratamento paisagístico do Largo Dos Capuchinhos e Quarteirão do centro de saúde. O eixo verde será constituído por canteiros ajardinados, que funcionará como elemento de separação entre espaços canais, conferindo em simultâneo, maior qualidade urbanística à zona de intervenção.
  • No Largo dos Capuchinhos prevê-se a plantação de árvores e o espaço circundante à estátua dedicada a João Duarte será valorizado por diversas espécies herbáceas.
  • Em toda a intervenção as árvores a plantar serão de características ornamentais, de médio porte e folha caduca, não resinosa do tipo “Gingko biloba” que terão um papel importante na criação de zonas de sombreamento sobre os passeios e zonas de estar.

Outras infraestruturas

  • Transladação do monumento aos mortos da grande guerra, que se encontra atualmente junto ao edifício da Polícia de Segurança Pública. Foi erguido nesta avenida nos anos 30 e manteve-se no local até 1987. O projeto pretende repor o monumento para a avenida (rotunda), atribuindo-lhe o destaque e a honraria que merece.
  • Em toda a área de intervenção serão renovadas as infraestruturas das redes públicas de abastecimento de água, de drenagem de águas residuais e de drenagem de águas pluviais. Em particular, na área de intervenção será substituído o coletor unitário existente (drenagem de águas residuais e águas pluviais) por redes separativas.
  • A iluminação pública será alvo de renovação, com sistemas de iluminação mais eficientes quer ao nível da luminosidade que ao nível do consumo.

 

Participação do Público

A requalificação do espaço público constitui uma das principais prioridades da Câmara Municipal, no contexto das exigências de mobilidade dos cidadãos e da valorização do próprio espaço público.

Nesse sentido, a Câmara Municipal tem realizado um conjunto de intervenções urbanísticas de conciliação, no espaço urbano, das vias reservadas ao trânsito automóvel e das áreas pedonais, a que se juntam os espaços cicláveis.

Em causa está não só a qualidade de intervenção mas, também, o impacto que as diversas soluções urbanísticas trazem para a qualidade de vida dos cidadãos, destino último de qualquer ação no espaço público, pelo que é legítimo que os cidadãos possam participar neste processos de intervenção, sugerindo formas de os pôr em prática.

Como é do conhecimento geral, a Câmara Municipal pretende levar a cabo um projeto de intervenção na Avenida dos Combatentes da Grande Guerra, uma das vias mais emblemáticas e estruturantes da cidade, propondo alterações profundas quanto à disposição dos espaços pedonais, de circulação automóvel e ciclável, bem como a reintrodução de elementos ligados à Avenida – como o Monumento aos Combatentes –tendo em conta outras intervenções na envolvente, como seja, a instalação da Escola Superior de Design do IPCA na antiga Escola Gonçalo Pereira.

Assim, convida-se a população a pronunciar-se até ao dia 26 de abril de 2019, sobre a proposta apresentada pelo Município para o projeto da Avenida dos Combatentes, deixando aqui o seu contributo.

Para uma melhor compreensão da intervenção, pode ser vista uma maquete do projeto no espaço do Balcão Único, na Câmara Municipal, no respetivo horário de atendimento ao público.

 

2019 - Todos os Direitos Reservados - Município de Barcelos | Política de Privacidade | Desenvolvido por DMT

Tamanho da Fonte